MasterBLOG

Bastante populares na Europa e nos Estados Unidos, os mops desembarcaram no Brasil há poucos anos como alternativa para facilitar a limpeza doméstica. Primeiro, eles conquistaram as empresas de manutenção e o segmento industrial, mas logo ganharam espaço nas lojas de artigos para a casa, em diferentes versões e modelos.

Os mops substituem (quase sempre) a vassoura e a pá, assim como o rodo e pano de chão com algumas vantagens, sendo a ergonomia uma das mais relevantes. Quando equipados com cabos telescópicos, os utensílios se ajustam à altura do usuário, oferecendo conforto nas tarefas. Além disso, grande parte dos modelos possuem travas para a retirada do esfregão/ espuma, diminuindo o “abaixa e levanta”. Outra facilidade, presente em alguns modelos, é o sistema para torção ou os baldes com centrífugas, que evitam a torção manual da base.

Os mops fazem uso, ainda, dos panos de alto desempenho, geralmente de microfibra, mais eficientes para a limpeza por reterem melhor a sujeira, serem mais absorventes e não soltarem fiapos. E, nos equipamentos com giro de 360 º, o alcance às áreas de difícil acesso (como cantinhos atrás dos móveis e embaixo do sofá) torna-se mais fácil.



Cuidados ao escolher e ao usar

Embora bastante versátil, o mop não é solução para todos os problemas domésticos. Para varrer resíduos grandes (como folhas, por exemplo), a vassoura continua sendo a melhor ferramenta.

Na hora de escolher um, pense: “pra quê vou usar?". Se a lavagem de pisos frios é o foco, opte pelos modelos com base de algodão, fibras sintéticas ou espuma de alta absorção. Se a intenção é tirar o pó, invista em um com tecido de microfibra ou algodão. E, para dar brilho aos pisos cerâmicos, os de lã são os mais apropriados.

Utensílios equipados com esponjas são indicados para a limpeza de vidros e para a secagem de superfícies frias. Os modelos com esponjas abrasivas são próprios para retirar sujeiras incrustadas em pisos não polidos, pedras naturais e cimento.





Mantenha a eficiência

Não basta comprar o mop certo, é necessário saber usá-lo adequadamente para evitar frustrações com o resultado da faxina: para os do tipo esfregão (parecidos com vassouras), por exemplo, a orientação é realizar a limpeza com movimentos suave em formato de oito, partindo sempre dos rodapés.

Como acontece com vassouras e rodos, os mops também demandam cuidados para durar. O principal deles é limpar adequadamente o refil, preferencialmente com sabão de coco líquido e água, logo após o uso. A secagem deve ser feita naturalmente. Quando a matéria-prima é de boa qualidade e o cuidado com a manutenção adequado, o refil de um mop pode durar cerca de 300 lavagens.

Fonte: Universa


Scroll to Top